quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Seleção Brasil em Cena abre inscrições

Foto: ReproduçãoAté 24 de setembro estão abertas as inscrições para a 7ª edição do projeto Seleção Brasil em Cena. Promovido pelo CCBB e patrocinado pelo Banco do Brasil, o concurso de dramaturgia tem como principal objetivo fomentar a literatura dramática nacional por meio do reconhecimento de novos dramaturgos.
Serão selecionados 12 textos que receberão leituras dramatizadas distintas a serem realizadas no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, durante as quais serão eleitos três textos vencedores (um em cada cidade), por meio do voto dos diretores e do público. Os três autores vencedores serão premiados com a encenação de seu texto com pauta nos teatros do CCBB Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.
Não há limite para a quantidade de textos inscritos por candidato. Os inscritos serão avaliados por uma comissão julgadora formada por profissionais das artes cênicas.
O regulamento está disponível no site www.selecaobrasilemcena.com.br.

Fórum Direito do Entretenimento

A Comissão de Direitos Autorais, Direitos Imateriais e de Entretenimento da OAB-RJ, em parceria com o Cultura e Mercado, promove nos dias 30 de setembro e 1º de outubro o I Fórum Internacional de Direito do Entretenimento.
Foto: ReproduçãoO objetivo é atualizar o mercado de entretenimento em geral, incluindo advogados militantes na área, estudantes de direito, estagiários, produtores e todos os profissionais do setor, sobre as últimas tendências em termos de modelos de negócio e de questões legais a ele relacionadas.
Para isso, reunirá nos dois dias profissionais renomados na área, como: Fábio Lima (Sofá Digital); Anderson Ramires (PwC); Tania Lima (União Brasileira de Video e Games); Cristiane Gomes (bookwire); Carlo Carrenho (Publishnews); Carlos Estigarribia (RightZero); Eliane Costa (ex-gerente de patrocínio da Petrobrás e autora sobre o tema digital); Isabella Henriques (Instituto Alana); Sebastián Blój (advogado argentino especialista em Propriedade Intelectual); Leonardo Monteiro de Barros (Conspiração); Luis Lobianco (Porta dos Fundos); Sally NG (NBCUniversal); Rosana Alcântara (Ancine); Glória Braga (ECAD); Raquel de Souza (Ministério da Cultura); Carlos Mills (GAP Pró-Música); Luis Justo (Rock in Rio); Roberto Menescal; e Fábio de Sá Cenisk (Cesnik, Quintino & Salinas Advogados e OAB-RJ).
O fórum abordará a temática de todos os setores da economia do entretenimento, dentre os quais cinema, televisão, games, música, publicação de livros, mercado de artes visuais, entre outros. Além dos debates, dá a oportunidade de o setor imergir por dois dias para repensar modelos e guiar o desenvolvimento dessas atividades.
“Acredito que a realização deste evento esteja criando um marco no calendário do Direito do Entretenimento no Brasil. Buscaremos discutir para cada segmento o impacto das novas tecnologias digitais nos modelos jurídicos e de negocio”, afirma Fábio Cesnik, sócio diretor do escritório Cesnik, Quintino & Salinas Advogados e Presidente da Comissão de Direito Autoral, imaterial e Entretenimento da OAB do Rio de Janeiro.
O I Fórum Internacional de Direito do Entretenimento acontece na OAB-RJ (Av. Mal. Câmara, 150, Castelo, Rio de Janeiro/RJ).
Clique aqui para conferir a programação completa e garantir sua vaga.

Ministros discutem planos de cultura para o meio rural

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, se reuniu na manhã desta quarta-feira (2) com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, para discutir novas parcerias, reconstrução, retomada e adaptação de antigos projetos relacionados a cultura no meio rural.
Juca iniciou a conversa citando a festa do São João como um importante momento da cultura popular de integração com a vida sertaneja e urbana. O ministro falou da sugestão que recebeu de um cidadão para a criação de uma feira próxima à festa de São João que articularia os dois setores (agricultura e cultura). A feira seria uma espaço que aumentaria a oferta gastronômica, faria com que o pequeno produtor venda e exponha seus produtos e participe da festa após a feira.
O ministro Patrus apresentou o dado de que a maioria esmagadora dos municípios brasileiros tem características rurais, sendo que mais de 75% das cidades tem menos de 20 mil habitantes. Patrus falou que para atender as prioridades da sua pasta - reforma agrária e o desenvolvimento da agricultura familiar – é necessário fazer a manutenção dessa população na agricultura. Para tal é importante criar condições saudáveis para que os jovens permaneçam nas áreas rurais. "Muitos jovens só saem do campo para terem oportunidades. A grande maioria ficaria nesses lugares caso tivessem acesso à cultura, bibliotecas e teatros", explicou.
De acordo com o ministro da Cultura, Juca Ferreira, há vários programas que dialogam com a cultura rural para serem estruturados juntamente com o MDA. "O Brasil não é uniforme, pelo contrário, o campo brasileiro não se mostra de maneira igual e nem a cultura do campo. Até as relações de produção, tudo é muito diferenciado. As raízes são bem diferentes", observou.
Os ministros também debateram a formação de um Comitê Técnico Permanente interministerial. O Comitê irá discutir a criação, a reconstrução e o aperfeiçoamento das políticas públicas voltadas para ampliação e valorização da cultura no meio rural.
Participaram também da reunião a secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural, Ivana Bentes, o secretário Executivo do MinC, João Brant, a assessora de Juventude, Luiza Dulci e a secretária de Desenvolvimento Territorial, Severine Macedo.

Festival aceita doação de sangue como pagamento de ingressos


A expressão "dar o sangue" é comumente usada quando queremos dizer que faríamos qualquer esforço por algo ou alguém. Para chamar a atenção dos apaixonados por música e promover o Untold Festival, que acontece na Transilvânia a McCann Bucareste levou o termo ao pé da letra e uniu o útil ao agradável.

A ideia foi convidar o público a literalmente dar sangue pela música, pagando ingressos do festival através de doação ao banco de sangue da cidade.

Para criar a ação, a McCann aproveitou uma figura que popularizou a Transilvânia mundialmente e tem tudo a ver com o tema: o Drácula, personagem da obra de Bram Stoker.


 



Com identidade visual vampiresca e hotsite criados, na metade do primeiro dia de campanha 45 pessoas já haviam se inscrito para a doação.

Sai resultado de chamada para produção de conteúdo para TVs públicas




A partir do segundo semestre de 2016, os brasileiros terão acesso a 250 horas de programação inédita -  com conteúdos de animação, ficção e documentários para todas as idades - em 200 canais de programação da TV paga e emissoras do campo público da televisão dos segmentos universitários, comunitário e educativo do Brasil. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (02/09), em Brasília, durante divulgação de resultado da chamada pública para produção de conteúdo para TVs públicas doPrograma Brasil de Todas as Telas.
A iniciativa é o resultado de projetos selecionados em cinco editais lançados em todo o Brasil, com o objetivo de regionalizar a produção de conteúdos audiovisuais independentes, para destinação inicial ao campo público de televisão. A ação, com investimento total de R$ 60 milhões, é uma parceria da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAV/ MinC) com a Agência Nacional do Cinema (Ancine) e a Empresa Brasil de Telecomunicação (EBC).  
Das 768 propostas inscritas, 94 foram selecionadas, contemplando 83 empresas independentes de todo o País. Entre as selecionadas, 18 propostas são provenientes da Região Norte; 16, da Região Nordeste; 19, do Centro-Oeste; 23, do Sudeste e 18, do Sul.
O ministro da Cultura, Juca Ferreira, explicou que o audiovisual mantém ritmo de expansão no País. "A política de audiovisual é uma das que mais avançou. As críticas são normais de um processo bem-sucedido", avaliou, ao comentar que "o audiovisual na comunicação pública dá um passo histórico". Além disso, salientou a importância do investimento em produções de qualidade com enfoque regionalizado. "No Brasil de Todas as Telas será possível ver todo o Brasil nas telinhas de TV pública", completou. 
Outro ponto abordado pelo ministro foi a necessidade e importância da participação da sociedade na formulação, execução e avaliação de políticas públicas. "O Ministério da Cultura já tem tradição nisso. Não acreditamos em política pública construída dentro de gabinete", enfatizou. Por fim, Juca Ferreira falou sobre a Cinemateca e investimentos do governo feitos na instituição para que a memória do cinema brasileiro seja garantida. A Cinemateca Brasileira, órgão vinculado ao MinC, é a instituição responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira. Desenvolve atividades em torno da difusão e da restauração de seu acervo, um dos maiores da América Latina.

Qualidade

O diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel, enfatizou que serão entregues "250 horas de programação realizadas para dialogar com a sociedade brasileira". "Entregaremos uma produção de qualidade que reflita o tempo em que vivemos e que seja capaz de entreter, provocar, mobilizar, divertir e indagar as pessoas", afirmou.
O diretor falou ainda sobre a diversidade brasileira na televisão. "Se não há obras audiovisuais com diferentes sotaques não é por falta de talento ou capacidade técnica, a capacidade está instalada e essa linha é um reconhecimento da capacidade instalada", disse. 
Na programação haverá 20h de obras seriadas de animação; 51h de obras seriadas de ficção; e 179h de obras seriadas e não seriadas de documentários. As propostas selecionadas atendem a 24 perfis de programação definidos nos editais: 10 perfis dedicados ao público infantil, correspondendo a 36 propostas; 5 perfis dedicados ao público jovem, correspondendo a 22 propostas; e 9 perfis dedicados ao público adulto.
Além do ministro da Cultura e do diretor-presidente da Ancine, participaram do evento o secretário do Audiovisual do MinC, Pola Ribeiro, e o presidente da EBC, Américo Martins, entre outras autoridades. 
A ação contou também, desde o início, com o apoio da Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), da Associação Brasileira de Canais Comunitários (ABCCOM) e da Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais (ABEPEC). Representantes das instituições estiveram presentes na cerimônia .