domingo, 27 de julho de 2014

Biblioteca oferece 10 milhões de páginas de periódicos

Se alguém quiser entender a historiografia brasileira de 1808 até os dias atuais, basta visitar a Hemeroteca Digital Brasileira. Lá encontrará uma coleção de jornais, revistas, anuários, boletins e outras publicações seriadas da coleção da Biblioteca Nacional, que por meio da Lei do Depósito Legal - obrigatoriedade do depósito na Biblioteca Nacional de um exemplar de tudo o que se publica no país – se beneficiou com a aquisição de milhões de páginas de nossa memória impressa.

Considerada a mais antiga e completa do país, a Hemeroteca Digital Brasileira, a partir de 2011, com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), começou a digitalizar e disponibilizar dez milhões de páginas de periódicos brasileiros, que estão em domínio público. E, por meio do Plano Nacional de Microfilmagem de Periódicos Brasileiros (Plano), começou a localização, reunião, organização, recuperação e preservação do acervo de outras instituições brasileiras. 

Fazem parte da coleção jornais raros, extintos e correntes como o Correio da Manhã (1901) - um dos mais importantes da história da imprensa brasileira e o jornal extinto mais consultado na Biblioteca Nacional -, O Paiz (1860), Gazeta de Notícias (1875), Gazeta do Rio de Janeiro (1808) e Correio Braziliense (1808). 

O acervo inclui, ainda, uma coleção, de 1907 a 1945, da revista Fon-Fon, "um semanário alegre, político, crítico e esfusiante" (com grafia da época), segundo a própria publicação. 

Do século XX, há revistas como Careta, O Malho, Revista da Semana, Klaxon (revista sobre arte, criada depois da Semana de Arte Moderna, realizada em 1922, pelos participantes do Movimento Modernista), entre outras. 

Assim como jornais que marcaram a história da imprensa no Brasil como A Noite, Correio Paulistano, A Manhã e Última Hora também podem ser consultados. 

Protagonista de novo filme de Domingos Oliveira, Fernanda Montenegro brilha no Festival de Paulínia


Domingos Oliveira e Fernanda Montengro no Festival de Paulínia
Foto: Aline Arruda / Divulgação

Gostaria de obter orçamento para um computador ideal para edição de vídeos. Não precisa ser TOP, não, pois não é para vídeos profissionais...mas que seja uma boa placa de vídeo, processador, placa de captura etc..

A atriz Fernanda Montenegro foi recebida como uma pop star no 6º Paulínia Film Festival, na noite deste sábado, no Teatro Municipal da cidade do interior paulista. Ela veio acompanhar a exibição de “Infância”, o novo longa-metragem de Domingo Oliveira, um dos títulos que concorrem ao troféu Menina de Ouro, no qual interpreta dona Mocinha, a matriarca de uma rica família carioca dos anos 1950.

A atriz de 85 anos, acompanhada do diretor, de 82 anos, atravessou o longo tapete vermelho que leve ao teatro-sede do festival cercada de fãs, curiosos e várias equipes de TV. Momentos depois, já no palco para apresentar o filme, ao lado da equipe, Fernanda foi aplaudida de pé pelo público, que lotou os cerca de 1.200 lugares do espaço.

– A reabertura desse polo era algo que a gente esperava. O prefeito teve a inteligência de reabri-lo – começou a atriz, referindo-se à retomada das atividades do Polo de Cinema de Paulínia, do qual o festival é um de seus braços. – Temos certeza de que vocês vão assistir a um filme muito querido, muito honesto e muito emotivo e bonito, que vai tocar a todos. É uma festa estar aqui neste palco com vocês.

“Infância” é uma comédia dramática toda ambientada em uma mansão de Botafogo, e administrada com unhas e dentes por dona Mocinha (Fernanda), viúva que zela pela imagem do marido e é fã do programa de rádio do jornalista Carlos Lacerda. Mas a história é contada do ponto de vista do neto, Rodriguinho, que vive no casarão com a mãe, Conceição (Priscila Rozenbaum). O filme, que também competirá no Festival de Gramado (8 a 16 de agosto) é inspirado nas memórias do diretor quando garoto.

– A gente não deve falar dos filmes, os filmes é que devem falar sobre a gente. Então, vamos ao filme – resumiu Domingos, ao lado de sua equipe.

CURTA-METRAGISTA CAMILO CAVALCANTE ESTREIA EM LONGAS

A última noite da competição foi aberta por “A história da eternidade”, estreia do curta-metragista pernambucano Camilo Cavalcante no longa-metragem. O filme descreve três histórias de amor e desejo ambientadas em um pequeno vilarejo do interior de Pernambuco, castigado pela seca. Irandhir Santos interpreta um caboclo com espírito de artista que é adorado pela sobrinha Alfonsina (Débora Ingrid), que sonha em ver o mar, e perseguido pelo irmão Nataniel (Cláudio Jaborandy), o patriarca da família.
A performance de Irandhir Santos chegou a ser aplaudida durante a projeção, numa sequência em que seu personagem dubla a canção “Fala”, do grupo Secos e Molhados, no meio da vila árida, para admiração dos poucos habitantes e ira de Nataniel.

– É uma fábula delicada e poética sobre as relações humanas, feita para tocar o coração de cada um de nós – descreveu Cavalcante ao apresentar seu filme. – Aqui, o sertão é uma metáfora das pessoas que precisam se sacrificar por sua existência em uma região árida.
Os vencedores do 6º Paulínia Film Festival serão conhecidos na noite deste domingo (27). A cerimônia de premiação será precedida por uma homenagem ao diretor Cacá Diegues. Após a entrega dos prêmios, será exibido o filmem “Bem-vindo a Nova York”, do diretor americano Abel Ferrara, estrelado pelo francês Gérard Depardieu e a atriz britânica Jacqueline Bisset.


O Globo

Programa Iber-Rutas lança concurso de fotografia

O Programa Iber-Rutas lançou a 2ª edição do seu concurso internacional de fotografias “Miradas de Iberoamérica”. Os candidatos devem apresentar projetos que contenham de cinco a sete fotos relacionadas entre si que abordem a temática gênero e migração. As inscrições estão abertas até 29 de agosto.
Serão concedidos prêmios aos três primeiros classificados no valor de US$ 2.500, US$ 2.000 e US$ 1.500. Os vencedores receberão valores equivalentes na moeda local do país de origem. Os três projetos ganhadores poderão integrar uma mostra itinerante em alguns dos países que integram o programa.
O Iber-Rutas é um programa de fortalecimento de rotas de direitos e interculturalidade na migração ibero-americana, desenvolvido no âmbito da OEI. Busca, por meio de pesquisas, formação e difusão dos processos migratórios, contribuir para a promoção da diversidade cultural na Ibero-América configurando um espaço comum para a proteção dos direitos dos migrantes a partir de uma perspectiva intercultural.
O Iber-Rutas é coordenado pela Argentina e integrado por 10 países. A Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC) representa o Brasil no programa. Todos os países membros contribuem para um fundo que permite a realização de projetos de cooperação.
Os objetivos da temática deste segundo concurso são os de buscar a incorporação da questão de gênero à agenda ibero-americana para o desenho e a implementação de políticas e programas específicos, além de difundir boas práticas de integração dos grupos migrantes, baseadas no diálogo intercultural.
O tema gênero e migração foi escolhido com base em estudos da Organização Internacional de Migrações (OIM), que apontaram, a partir da década de 80, uma mudança no perfil dos migrantes. A predominância masculina nestes ciclos foi substituída pela presença das mulheres em cerca de metade da população migrante em todo o mundo.
Mais informações no site www.iber-rutas.org.

Concluído processo de tombamento da cidade de Natal

Conhecida como cidade do sol e por suas belas praias, a capital do Rio Grande do Norte, Natal, passa também a agregar o título de Patrimônio Cultural do Brasil.
O tombamento do Centro Histórico da capital potiguar compreende uma área de 28 hectares, que engloba parte de três bairros – Cidade Alta, Ribeira e Rocas – num total de 560 imóveis, dos quais 64 são considerados de maior relevância.
Iniciado em 2008 ainda sob a forma de estudos, o processo foi concluído na última sexta-feira (18/07) com a publicação no Diário Oficial da União da portaria de homologação do tombamento do conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico da cidade pelo Ministério da Cultura.

A decisão da ministra da Cultura, Marta Suplicy, ratifica a conclusão do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, presidido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vinculado ao ministério, que, em 2010, definiu pelo tombamento da cidade.
De acordo com a Superintendência do Iphan no Rio Grande do Norte, a partir de agora, haverá um refinamento nos estudos de levantamento de imóvel por imóvel, com previsão de conclusão no ano que vem.
O estudo criará categorias com critérios precisos para intervenções por parte dos moradores. Segundo o Iphan–RN, apesar de a ideia ser a de preservar ao máximo, é possível que haja modificações e até demolições, conforme o caso. Há ainda terrenos com espaços para novas construção, que poderão ser feitas desde que sigam as normativas do Plano Diretor [da cidade], a altura dos imóveis antigos, entre outros fatores. 
Das edificações tombadas, encontram-se estilos que vão da arquitetura civil colonial e barroca a edifícios modernistas. Entre eles destacam-se o Forte dos Reis Magos, o Casarão do Arquivo Arquidiocesano, o Armazém Real da Capitania (Antiga casa do padre João Maria), o Palácio Felipe Camarão (sede da Prefeitura de Natal), o Teatro Alberto Maranhão, o antigo Grupo Escolar Augusto Severo e o prédio da Secretaria de Tributação do Município (Semut). Além deles, onze praças do Centro Histórico serão requalificadas.
Justamente esses dez destes locais foram selecionados, em 2013, pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Cidades Históricas 2) para passar por algum tipo de reforma com investimentos no valor de R$ 43 milhões. A execução das obras foi distribuída entre a Prefeitura Municipal de Natal, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e o próprio Iphan.

Biblioteca Nacional participará da 12ª Flip




A Fundação Biblioteca Nacional (FBN), entidade vinculada ao Ministério da Cultura, também fará parte do evento. Ela organizará, em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF) e o British Council, uma programação ampla sobre tradução literária antes e durante a feira.


A histórica Paraty (RJ) será palco da 12ª edição Festa Internacional de Literatura (Flip) entre 30 de julho e 4 de agosto. O evento, realizado com apoio do Ministério da Cultura e criado em 2003, vai reunir grandes nomes nacionais e internacionais. Serão, ao todo, 77 autores de 15 nacionalidades. A expectativa é que cerca de 20 mil pessoas visitem a Flip.
"A Flip é um dos principais eventos do calendário literário nacional e atrai um público bastante diverso: brasileiros e estrangeiros, público especializado e amantes da literatura... Portanto, é um local de debate e reflexão, no qual a FBN deve estar presente, tendo em vista a sua missão de preservação e difusão do livro e da produção intelectual do País" , afirma Moema Salgado, coordenadora-geral do Centro Internacional do Livro da FBN.
Entre 21 e 27 de julho, a FBN promoverá oficina de tradução literária inglês-português-inglês. Entre 27 e 29 de julho, haverá um colóquio internacional com a participação de cerca de 20 professores, tradutores, editores e autores. Por fim, em 30 de julho, interessados poderão conferir a mesa-redonda sobre literatura e tradução com a participação de Daniel Hahn, Paulo Henriques Britto, Sam Byers e José Luiz Passos, na Casa da Cultura da Flip às 20h. Além disso, Fabiano Santos, diretor do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) e secretário executivo do Plano nacional do Livro e Leitura (PNLL), José Castilho, foram convidados a participar de uma mesa sobre Politicas Públicas de Livro e Leitura, em 31 de julho, às 13h30.

A festa

Neste ano, o homenageado será o dramaturgo, tradutor e artista gráfico Millôr Fernandes, uma das figuras mais marcantes da imprensa brasileira. Fernandes esteve presente na primeira edição da Flip, em 2003. Neste ano completaria 91 anos. "Millôr trazia o mundo da Flip num homem só: da tradução de Shakespeare ao cartum, do jornalismo ao hai-kai. Sua crítica ao poder é fundamental no Brasil de 2014", afirma Paulo Werneck, curador da Flip. "Homenagear um autor contemporâneo é um chamado ao presente, para que os nossos autores de hoje sejam mais conhecidos pelos leitores de hoje", explica Werneck.
Entre as novidades desta edição, estão o show de abertura gratuito, com a cantora Gal Costa, e a transmissão ao vivo da programação principal – que ocorre na tenda dos Autores com 850 lugares- na tenda do telão, com capacidade para cerca de 1,4 mil pessoas e ao vivo, pela internet. Entre os diversos recortes da programação estão humor, arquitetura, ciência, pensamento indígena e crítica ao poder,característica do homenageado. Todos os eventos contam com tradução simultânea.

Flipinha

E a festa não fica restrita aos adultos. A garotada também poderá ter contato com seis autores e nove ilustradores e participar de contação de histórias, musicais, teatros e danças. A Flipinha, batizada em 2004, nasceu junto com a Flip para ser um movimento de formação de leitores em Paraty.  Os escritores e ilustradores participarão da Ciranda de Autores, uma das mais concorridas atividades da programação da Flip voltada ao público infantil. 
A Flipinha é a principal ação educativa da Associação Casa Azul, entidade que realiza a Flip. Além da programação dos cinco dias de festa, realiza ações permanentes com o objetivo de estimular a leitura e a criatividade entre as 13 mil crianças e jovens matriculados nas escolas públicas e particulares de Paraty. Para isso, oferece atividades durante todo o ano na Biblioteca Casa Azul. Desde março de 2013 sua programação já recebeu 1.896 participantes.

Participe

Os ingressos apara a Flip 2014 estarão disponíveis até 29 de julho.O preço da entrada para a programação principal na tenda dos autores, como no ano passado, é R$ 46,00 (inteira) e R$ 23,00 (meia). Durante a Flip, entre 30 de julho e 3 de agosto, a venda será realizada só em Paraty, na bilheteria oficial localizada na tenda dos autores.
Os ingressos podem ser adquiridos na internet no site www.ticketsforfun.com.br ou em seus pontos de venda credenciados; pelo telefone 4003-5588 e nas bilheterias do Citibank Hall de São Paulo e do Rio de Janeiro, das 12h às 20h, diariamente.