domingo, 25 de janeiro de 2015

Giro dos Folguedos de verão chega ao último dia de apresentações

Maculelê Yá Capoeira reúne jovens para tradicional manifestação. Foto: Keyler Simões/ FMACA edição deste verão 2015 do projeto Giro dos Folguedos chega ao último dia de apresentações neste domingo (25), às 16h. Durante todo o mês de janeiro, diversos grupos de cultura popular preencheram as tardes de domingo com muita dança, alegria e cor, empolgando maceioenses e visitantes que acompanharam a programação na orla de Maceió.


O projeto é uma iniciativa da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas.
Maceioenses e turistas prestigiam apresentações no Giro dos Folguedos. Foto: Keyler Simões/ FMACEm sua 8ª edição, o Giro dos Folguedos se reafirma como importante vitrine para a cultura popular produzida em Maceió. A ação contribui para a formação de platéia para os folguedos e as danças populares, além de despertar nos jovens o interesse pelas manifestações.
Para o diretor de Produção Cultural da Fmac, Keyler Simões, é possível perceber mudanças nas apresentações se lembrarmos das primeiras exibições realizadas janeiro de 2013. Segundo ele, a presença de jovens e até mesmo crianças nos grupos certamente está ligada ao orgulho e ao sentimento de pertencimento que o contato com o público desperta nos brincantes.
O coordenador do Grupo Folclórico Ganga Zumba, Carlos Gilberto dos Santos Nascimento, diz que o Giro dos Folguedos sempre deixa saudades quando termina. “É muito importante participar de mais uma edição do Giro dos Folguedos. Além de prazeroso, o projeto permite que a gente divulgue nosso trabalho e coloque nossa cultura em evidência para todo o Brasil, já que no verão recebemos visitantes de cidades do país inteiro”, afirma.
Guerreiro Mensageiros de Padre Cícero é atração no Giro dos Folguedos deste domingo. Foto: Keyler Simões/FMAC


Programação
Neste domingo, as apresentações seguem ao longo da Rua Fechada, na Ponta Verde, no trecho do estacionamento do Antigo Alagoinhas até o Largo dos Sete Coqueiros.
Participam das apresentações os grupos: Taieiras Alagoanas, Guerreiro São Pedro Alagoano, Fandango do Pontal, Grupo Ganga Zumba, Boi Águia de Ouro, Maracatu do Grupo Folclórico Pedro Teixeira, Negras da Costa da Associação Folclórica Pedro Teixeira, Maracatu Baque Alagoano, Guerreiro Mensageiros de Padre Cícero e Maculelê Yá Capoeira.
Clarissa Veiga e Cintia Calheiros (estagiária)/ Ascom FMAC

Boa música e surpresas marcam o 4º sábado de Maceió Verão

Maceió 200 anos de Verão - Roberta Aureliano, Dhyda Lyra e Leureny e Zeca Baleiro.  Foto: Lula Castello Branco Secom/Maceió

O quarto sábado de Maceió 200 Anos de Verão foi marcado por música de qualidade para diversos gostos e gerações e boas surpresas. Cerca de 30 mil pessoas foram à Praça Multieventos, na Pajuçara, para ver e cantar com as atrações locais Roberta Aureliano, Leureny e Dydha Lyra, que foram os anfitriões da atração nacional, o compositor e cantor maranhense Zeca Baleiro.

O vice-prefeito de Maceió, Marcelo Palmeira, disse que o festival “vem surpreendendo em qualidade e em participação do público. O Festival 200 Anos de Verão já faz parte do calendário da cidade. Vamos continuar trabalhando para que ele seja ainda melhor a cada edição”, disse.

Maceió 200 anos de Verão - Roberta Aureliano, Dhyda Lyra e Leureny e Zeca Baleiro.  Foto: Lula Castello Branco Secom/MaceióEra finalzinho de tarde quando Roberta Aureliano subiu ao palco seguindo à risca a proposta que o próprio nome do show sugere: “Nós canta, pra tu dançá”. Com forró, xote e xaxado e releituras de ritmos como o reggae, Roberta e a Banda Fulô de Maracujá contagiaram o público.

“O importante dessa festa é que o artista da terra está no mesmo patamar que o artista nacional e é aplaudido pelo público da mesma forma. A Prefeitura e a Fundação Municipal de Ação Cultural estão de parabéns. Nessa mistura de ritmos que acontece no festival, eu me sinto honrada por estar aqui representando o forró”, festejou Roberta.

Um show cheio de “alagoanidade”. Foi assim que o cantor Dydha Lyra resumiu o que ele e Leureny levaram ao palco. A dupla apresentou canções carregadas de sentimento. “Estamos muito felizes por participar do festival. Maceió precisava dessa janela que valoriza o artista local. E quem é de fora e está aqui vê que aqui se faz música de qualidade. O festival está muito bem organizado e em clima de paz”.

E foi justamente esse clima de paz que foi destacado por quem estava no meio da multidão. Foi o caso do corretor de imóveis Maherval Chaves. “Vim no último sábado e foi ótimo hoje também está muito bom, com segurança. A Prefeitura está de parabéns. A gente reclamava que faltavam opções e hoje a gente tem música de qualidade num evento desse porte”, disse ele.

Maceió 200 anos de Verão - Roberta Aureliano, Dhyda Lyra e Leureny e Zeca Baleiro.  Foto: Lula Castello Branco Secom/Maceió

Enfim, chegou o momento dos alagoanos chamarem ao palco a atração nacional. Roberta, Dydha e Leureny anunciaram Zeca Baleiro. E foi ao som do sucesso “Telegrama” que ele abriu a apresentação. O show seguiu com canções novas e mais antigas como Proibida Pra Mim e Lenha, tendo uma multidão cantando em coro. Ele disse que um show assim tem um significado especial pelo caráter democrático.

Maceió 200 anos de Verão - Roberta Aureliano, Dhyda Lyra e Leureny e Zeca Baleiro.  Foto: Lula Castello Branco Secom/Maceió

Baleiro destacou que se sentia em casa: “Eu também sinto Maceió como uma cidade um pouco minha. Meu baixista, Fernando Nunes é daqui e aqui tenho muitos parceiros como Victor Pirralho, Júnior Almeida e Wado”. E foi com Wado, (que também é autor do jingle do Festival), que Zeca surpreendeu: dividiu a música Fortalece Aí, composta pelo alagoano.

Bituca
“Me sinto muito honrado por ter sido convidado. Mas eu preferia estar aqui junto com ele”, disse o maranhense prestando uma homenagem a Milton Nascimento, que seria o cantor da noite, mas por questões de saúde cancelou sua agenda de shows por recomendação médica e não pôde vir a Maceió. Zeca, então cantou “Para Lennon e McCartney”, uma das canções interpretadas pelo mineiro, a quem Zeca nominou de “artista enorme”.

O que o público não esperava era que Bituca (como Milton também é conhecido) enviasse uma mensagem especial para o público em Maceió, que foi lida por Baleiro. Se dirigindo “aos meus de Alagoas”, ele agradeceu o carinho dos maceioenses e disse estar profundamente triste, mas que sabia: “com meu amigo Zeca Baleiro vocês estão bem acompanhados”, dizia na mensagem.


O presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural, Vinícius Palmeira, fez um balanço do 4º dia: “Hoje tivemos o talento jovem, que é a Roberta, e dois grandes nomes da música alagoana, que são Didha Lyra e Leureny e, por fim, o Zeca Baleiro, que é uma atração que agrada e atinge diversos públicos e gerações”.

Maceió 200 anos de Verão - Roberta Aureliano, Dhyda Lyra e Leureny e Zeca Baleiro.  Foto: Lula Castello Branco Secom/Maceió
 “O Festival Maceió 200 Anos de Verão tem sido um evento de grande sucesso e muita paz agradando turistas e maceioenses. Desde já, convocamos o público para o encerramento do festival, no próximo sábado, dia 31, com Desa, Victor Pirralho e Os Paralamas do Sucesso”, convocou Clayton Santos, secretário municipal de Comunicação Social.

Já para Jair Galvão, secretário municipal de Promoção do Turismo, as belezas naturais e a gastronomia são grandes atrativos turísticos e principais motivadores na escolha do destino Maceió, entretanto “o Festival já se mostra como mais um fator agregador para o turismo na cidade, o que é maravilhoso, já que se trata de um evento de qualidade, que além de tudo, acontece em plena zona hoteleira”.

Parceiros
O festival acontece pelo segundo ano consecutivo e em 2015 abre as comemorações do bicentenário da cidade. O evento é promovido pela Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac) articulada com os órgãos municipais e conta com os parceiros: Braskem, Skol, Caixa Econômica Federal, Governo Federal, Parque Shopping, Centro Universitário Tiradentes (Unit) e Almaviva.

Arnaldo Faustino, representante da Almaviva do Brasil, comentou: “Estar envolvido é uma prática da Almaviva em todo o mundo porque a Almaviva é uma empresa de pessoas. Para nós é um prazer apoiar esse evento que tem dado certo”. Já a consultora Regional de Marketing da Caixa Econômica Federal, Cerize Ferrari, enfatizou que “a Caixa tem esse viés de incentivar eventos que promovam a cultura. Nesse caso, um festival tão bem organizado e tão bem pensado”.


Fernanda Calheiros/Secom Maceió
Fotos: Lula Castello Branco Secom/Maceió e Pei Fon Secom/Maceió

Teatro Rival Petrobras será palco para Prêmio Afro 2014

"Começar o ano com a possibilidade de desenvolver um trabalho desse porte é uma grande felicidade, é fantástico. Me faz crescer como pessoa", celebra o artista plástico paraibano Elionai Gomes ao falar do projeto de artes visuais "Kolofé , um caminho de expansão afrocultural". A iniciativa foi uma das vencedoras da 3ª edição do Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afrobrasileiras, realizado pela Fundação Cultural Palmares, Petrobrás e Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves (Cadon).

A proposta é contemplar as expressões artísticas de estética negra nos segmentos de dança, artes visuais, teatro e música – um projeto de cada modalidade das cinco regiões do Brasil – com investimento total de R$ 1,4 milhão. Os 20 ganhadores passaram pelo crivo de um júri formado por doze especialistas de várias partes do Brasil. A premiação ocorrerá na próxima segunda-feira (26/01), no Teatro Rival Petrobras. Além do dinheiro, os selecionados receberão um troféu. 

Para Elionai, um dos responsáveis pelo Ateliê Multicultural Elionai Gomes, no centro histórico de João Pessoa (PB), será a oportunidade para que o projeto saia do papel. "Fiquei pensando como dar maior visibilidade à cultura afro, resgatar a memória das pessoas que construíram os monumentos", explica Elionai. No projeto, o artista plástico pretende fazer ligação entre monumentos e orixás. O trabalho inclui 17 telas, além de um projeto audiovisual e gráfico. "Esses prêmios são muito importantes e necessários para incentivar artistas e valorizar a cultura negra", avalia. 

O evento de premiação contará com representantes da Petrobras, patrocinadora oficial do evento, e da Fundação Cultural Palmares. Personalidades da cultura negra, como a atriz Elisa Lucinda, o músico Carlos Negreiro e Da Gama, o ator Antônio Pompeu entre outros, confirmaram presença. 

Vencedores

MÚSICA
  • PEDAGOGIA DE RUA – Mato Grosso 
  • CD CACURIÁ DE DONA TETE – SERRA DO MAR – Maranhão 
  • EDSON CATENDÊ – O CANTO NEGRO DO PARÁ – Pará 
  • GALANGA, CHICO REI – Minas Gerais 
  • ÌTÀN ÒRUN ÀTI ILÉ AYÉ – HISTÓRIAS DO CÉU E TERRA – Rio Grande do Sul 
TEATRO
  • O JARDIM DAS FLORES DE PLÁSTICO / ATO 3 – POR BAIXO DO SACO PRETO – Ceará 
  • TOMBO DA RAINHA – Rio Grande do Norte 
  • FACE NEGRA FACE – A HISTORIA QUE NÃO FOI CONTADA – Pará 
  • III MOSTRA BENJAMIN DE OLIVEIRA – Minas Gerais 
  • LEVANDO A VIDA NO CABELO – Rio de Janeiro 
DANÇA
  • IGBÁXÉ O SEGREDO DA NOSSA FORÇA – Alagoas 
  • ABÔ – Pernambuco 
  • EM DANÇA ENTRE RIOS E SOL – Tocantins 
  • CO ÊS (COM ELES) – Minas Gerais 
  • CHICA – Rio de Janeiro 
ARTES VISUAIS
  • AFROLATINAS – Distrito Federal 
  • KOLOFÉ – UM CAMINHO DE EXPANSÃO AFRO CULTURAL – Paraíba 
  • KIUA NANGETU! POÉTICAS VISUAIS DE R – Pará 
  • RESÍDUOS DO PASSADO – São Paulo 
  • EU SOU PORQUE NÓS SOMOS – Paraná 

MPB Petrobras traz Marcelo Jeneci nesta quarta (28)

O cantor e compositor paulistano Marcelo Jeneci é a atração principal do projeto MPB Petrobras, em Maceió. O show que Jeneci leva para o palco é De Graça, homônimo ao seu segundo CD e indicado ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira. Para abrir a noite, o público confere o trabalho do cantor e compositor Felipe De Vas. O MPB Petrobras busca promover a música popular brasileira nacional e local, e democratizar o acesso a espetáculos de qualidade. Marcelo Jeneci (Abertura Felipe De Vas). Teatro Gustavo Leite (Jaraguá). Dia 28 de janeiro, às 20h. Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Informações: 9808-6067 / 9363-3610.

sábado, 24 de janeiro de 2015

4ª Mostra Curta o Gênero recebe filmes

curta o gêneroEstão abertas as inscrições para a 4ª edição da Mostra Curta o Gênero, que acontecerá entre os dias 13 e 18 de abril, na Casa Amarela, em Fortaleza (CE).
Além da mostra de curtas-metragens, cujas inscrições vão até o dia 10 de fevereiro, o evento também promove o IV Seminário Internacional de Gênero e Mudança, com inscrições abertas até o dia 20 de fevereiro.
Serão aceitos curtas-metragens de até 25 minutos, realizados a partir de 2012. Os realizadores devem ser maiores de 18 anos e as obras não podem ter sido inscritas em edições anteriores do festival. Por questões de acessibilidade, recomenda-se que os filmes estejam legendados em português, embora este não seja um critério de seleção.
Os simpósios temáticos do Curta o Gênero também recebem inscrições por e-mail. Além da ficha de inscrição, os interessados devem prover um resumo do trabalho, de acordo com o modelo disponível no site e no edital de inscrição. Os trabalhos selecionados pela comissão científica do evento e apresentados no seminário receberão um certificado comprobatório da participação no evento. Clique aqui para ver o regulamento.
Para mais informações, acesse o site oficial do evento.